Como ter um balcão de atendimento acessível


Vamos apresentar 5 itens para garantir a acessibilidade no balcão de atendimento e para começar penso ser importante lembrar que, conforme a Convenção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, temos dois tipos de barreiras que impedem a plena e efetiva participação das pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades, que elas, as barreiras físicas e as barreiras de atitude.


Podemos resumir aqui como barreira física toda o elemento arquitetônico ou urbanístico e até mesmo o mobiliário edificado no ambiente que de alguma forma impede o acesso e o uso dos ambientes com autonomia, conforto e segurança pela maior quantidade possível de pessoas.


E podemos entender aqui como barreira de atitude, ou barreira atitudinal, todos e qualquer comportamento preconceituoso que dificulta o relacionamento, o convívio e a oferta de serviços para as pessoas com deficiência, sendo esses comportamentos intencionais ou não.


E sabe porque é importante começar este capítulo sobre balcões de atendimento descrevendo sobre as barreiras físicas e atitudinais?


Por que, na maioria das vezes, o balcão no interior da edificação é o primeiro contato da pessoa com deficiência com os serviços oferecidos na edificação e um balcão que não é acessível cria automaticamente os dois tipos de barreiras, física e de atitude, simultaneamente, impedindo a plena e efetiva participação das pessoas na sociedade em igualdade de oportunidade.


O item número um para entender como garantir a acessibilidade aos balcões é a condição de se chegar até o balcão, conforme o capítulo 9.2.1.1 da NBR 9050:2020 que devem estar localizados em rotas acessíveis.


Isso significa que devemos garantir a circulação livre para a pessoa chegar até o balcão e ter um espaço livre na frente do balcão que permite um giro de no mínimo cento e oitenta graus, ou s